A capital da Alemanha proporciona aos seus visitantes uma verdadeira viagem no tempo. Tendo sido palco de batalhas entre as maiores potências do planeta, e também a capital de um dos maiores impérios da Europa, Berlim tem, literalmente, muita história para contar. A quantidade de lugares importantes, museus e exibições de arte, é de fazer inveja a qualquer outra capital europeia. São tantas as galerias e os museus, que tem-se a impressão de que a cidade escolheu a arte como a melhor forma de lidar com o seu passado turbulento. Exploramos os principais pontos turísticos de Berlim e os melhores passeios de Berlim por três dias, e compartilhamos aqui as fotos e dicas. Confira!

Algumas dicas práticas: onde ficar em Berlim

A maioria dos hotéis da cidade está localizada nos arredores do Tiergarten (o maior parque), onde ficam alguns dos principais pontos turísticos. Se você está procurando um lugar bem localizado e em conta onde ficar em Berlim, o hotel Sylter Hof pode ser uma boa opção, já que fica a apenas 5 minutos caminhando do parque e de várias outras atrações, como o Zoológico de Berlim (clique aqui para conferir a página do hotel).

Uma outra área bastante central é Alexanderplatz, que ficar perto da famosa torre de TV da cidade (leia aqui como subir a torre sem enfrentar filas), e também da catedral. Com ótimas conexões de metrô, esta área pode ser uma ótima opção onde ficar em Berlim. Confira o H2 Hotel, que fica nas imediações, clicando aqui.

 

Agora vamos aos pontos turísticos de Berlim: 

1. Brandenburger Tor (Portão de Brandemburgo)

Metrô: Brandenburger Tor

Apesar não haver muito movimento nas ruas mais afastadas do centro, e dos pontos turísticos de Berlim, principalmente no inverno, ao se aproximar do portão de Brandenburgo, as coisas vão mudando. O mais interessante é que, diferentemente de cidades como Londres e Paris, as pessoas parecem ser, em sua maioria, alemães, e não turistas estrangeiros.

O portão tem uma arquitetura fenomenal, e tem várias estátuas no interior das suas enormes colunas, e duas praças nas imediações, que geralmente ficam lotadas. Diferentemente da impressão as fotos do ponto turístico dão, a estrutura é cercada de outros prédios, e não fica solitária, como é o caso do Arco do Triunfo, em Paris.

O portão tem uma história conturbada, e foi parcialmente destruído durante a Segunda Guerra Mundial. Por ter presenciado os horrores da guerra, mais do que qualquer outro país na Europa, a Alemanha parece não querer esquecer, ou repetir os acontecimentos do passado. Por toda a cidade, vêem-se pequenas placas, com fotos dos monumentos danificados.

Leia também:  O que ver em Colônia - um dia na capital gótica da Alemanha

 

 

2. Reichstag

Metrô: Bundestag

O Parlamento Alemão é o centro da política do país. É lá onde novas leis são criadas, e os assuntos de estado discutidos. O prédio é enorme, e tem uma arquitetura belíssima. Por volta de 1990, depois da queda do Muro de Berlim, o Reichstag, como é chamado em alemão, recebeu uma nova ala, o Domo de Vidro, projetado pelo famoso arquiteto britânico, Lord Foster. A estrutura tem cerca de 50 metros de altura, e é altamente futurista. A idéia do arquiteto era usar o conceito de transparência, por isso o uso do vidro, que faz alusão à transparência da política alemã. O melhor é que, pode-se visitar o Domo de Vidro, e de graça! Para ser admitido, você terá que fazer seu pedido online, e esperar ser aprovado pela administração do prédio, devido à segurança acirrada.

O processo de inscrição é feito no site do parlamento, em alemão ou inglês, e você pode conferir a página e agendar sua visita clicando aqui. A confirmação é enviada por email, em um arquivo PDF, anexado à mensagem. Este documento deve ser impresso e apresentado na hora de entrar. No dia da sua visita, dá para retirar um guia de áudio (que é grátis), e disponibilizado em português também! O guia de áudio é automático, e, de acordo com o seu movimento dentro do prédio, o narrador vai dando detalhes sobre os monumentos vistos na distância, e também sobre o próprio parlamento. O passeio é muito interessante, e realmente vale a pena! Não deixe de conferir a área externa, em volta do domo, que tem um terraço, de onde é possível fotografar a paisagem em volta do parlamento, e a impressionante estrutura de vidro de um outro ângulo, do lado de fora. Sem dúvidas, um dos melhores pontos turísticos de Berlim!

 

 

3. Museumsinsel (Ilha dos Museus)

Metrô:Friedrichstrabe

A Ilha dos Museus tem nada mais que cinco museus de importância mundial (além da Catedral de Berlim). Mesmo que sua visita seja curta, e você não tenha tempo de visitar todos os museus, esta parte da cidade vale uma visita, nem que seja para apreciar a beleza da arquitetura de seus prédios.

Na parte principal da ilha, logo atrás do Altes Museum (Museu Velho), ficam a Alte Nationalgaleri (Velha Galeria Nacional) e o Neus Museum (Museu Novo). Lá, se encontra um belíssimo jardim, às margens do rio Spree, que é perfeito para fotos, e é cercado por uma passarela coberta, que liga os dois museus, adornada com colunas gregas de granito. O jardim tem também algumas esculturas interessantes, (ver fotos), e parece mesmo ser um espaço totalmente dedicado à arte. Não deixe de subir as escadarias da Velha Galeria Nacional, e apreciar o panorama lá de cima!

Leia também:  Clima da Alemanha em Setembro: o que fazer e o que vestir

Mais escondidos, no final da ilha, ficam dois museus importantes: o Bodes Museus, o maior museu de arte da cidade, e o Pergamonmuseum, que tem um acervo impressionante de artefatos romanos, gregos e islâmicos.

Entramos nos três dos museus da ilha: Pergamonmuseum, Neus Museum e Altes Museum. O mais interessante, sem dúvidas, era o Pergamonmuseum, que tem reconstruções de templos romanos no seu interior, com seções inteiras de prédios transportados de partes do Império Romano para lá.

É possível comprar um ingresso único para todos os museus da Ilha dos Museus antecipadamente, economizando tempo e dinheiro. Clique aqui para obter mais informações. 

O Altes Museum, apesar do tamanho, tem uma coleção um tanto limitada. Já o Neus Museum, tem uma coleção de artefatos egípcios interessantes, além do famoso Busto de Nefertiti, que é impressionante, e se encontra em perfeitas condições.

 

 

 

4. Coluna da Vitória (Siegessaule)

A coluna da Vitória é um dos principais pontos turísticos de Berlim, e fica bem no coração do Tiergarten, o parque mais famoso da cidade. A torre foi construída para comemorar as vitórias do Império Alemão em diversas guerras, e foi adornada posteriormente com uma enorme estátua de bronze maciço, Vitória, o anjo que se vê no seu topo..

O monumento tem um museu no interior e um terraço circular, composto de colunas de granito vermelho, que suportam a estrutura. Neste terraço existem belos mosaicos de vidro em cores vivíssimas, retratando cenas importantes da história do reino da Prússia . Não deixe de prestar atenção ao teto do terraço, que é de uma riqueza de detalhes impressionante. É possível visitar o museu e o terraço circular pagando apenas EUR 3,00. O passeio definitivamente vale a pena!

Um roteiro interessante para fazer na cidade é começar o seu passeio na Coluna da Vitória e de lá seguir pela avenida 17 de Junho (Strabe des 17. Juni) até o Portão de Brandenburgo e o Parlamento. Não deixe de explorar este lindíssimo ponto turístico de Berlim!

Há um passeio com saída de Berlim para Postdam, a cidade onde vivia a família real da Prússia, o reino de qual a Alemanha fazia parte. Com vários palácios de importância histórica e muita beleza, Postdam é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. A viagem é feita a bordo de um ônibus de luxo, e o passeio tem duração de quatro horas. Clique aqui obter mais informações e para pesquisar preços.

Leia também:  Clima da Alemanha em Fevereiro: o que fazer e o que vestir

 

 

5. Memorial ao Holocausto (Denkmal für die ermordeten Juden Europas)

Metrô:Brandenburger Tor

Este é, sem dúvidas, um dos mais impressionantes memoriais de todo o mundo. Com uma área total de 19.000 mil metros quadrados, o memorial do Holocausto é composto de “caixões” de concreto, que variam de tamanho, alguns chegando a ter vários metros de altura. A distribuição dos caixões forma um labirinto enorme, no qual você pode caminhar enquanto contempla a vasta estrutura.

O memorial fica do lado do Portão de Brandemburgo, e a estrutura mais parece um imenso cemitério a céu aberto no centro de Berlim. O lugar proporciona um espaço para reflexão sobre os horrores cometidos pelos nazistas contra os judeus e outras minorias durante o Holocausto.

Se tiver tempo, não deixe de visitar o centro de informações localizado no subsolo. Lá , há exibições permanentes, com fotos da guerra, e também uma lista com os nomes de todas as vítimas documentadas do Holocausto.

 

 

6. Bebelplatz

Metrô:Friedrichstrabe

Seguindo direto pelo Portão de Brandemburgo, na avenida Unter den Linden, chega-se a Bebelplatz, no centro histórico de Berlim. Esta praça é repleta de edifícios imponentes e importantes, como a Ópera Nacional, a Catedral de St. Hedwig (que tem um formato bastante interessante, inspirado no Panteon de Roma) e prédios da Faculdade Humboldt.

A praça tem um passado conturbardo, e foi palco da famosa Queima de Livros, quando milhares de livros foram queimados por membros do Partido Nazista. Não deixe de conferir o monumento conhecido como “Noite da Vergonha”, que serve para lembrar as pessoas dos horrores daquela noite. O monumento consiste de uma janela no chão, que dá vistas para estantes brancas vazias, simbolizando os livros queimados na ocasião.

 

 

7. Checkpoint Charlie

Metrô:Kochstrabe

O Checkpoint Charlie era o ponto de fiscalização mais famoso do Muro de Berlim. Era lá que acontecia o controle da passagem entre os dois lados da cidade, e dos dois países em que a Alemanha foi dividida na época, Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental. Depois da queda do muro, o ponto foi preservado como parte do museu da área, mantida exatamente como era na época da existência do muro.

 

Esta área de Berlim é bastante interessante, e até assustadora, pois o clima é um tanto sombrio. A história de violência, divisões políticas e terror do Muro de Berlim, juntamente com o cinza dos prédios, e o toque real dados pelas placas e pelos soldados uniformizados, realmente te fazem voltar no tempo. Não é difícil se imaginar alí, quando a Alemanhã ainda era dividida, e os Estados Unidos estavam prestes a entrar em guerra com a União Soviética.

Não deixe de conferir os painéis que contam a história do muro em ordem cronológica, relatando os acontecimentos mais importantes da existência da parede que, literalmente, representava a divisão do mundo entre o capitalismo e socialismo.

Pertinho do Checkpoint Charlie, fica um outro ponto turístico de Berlim, conhecido como Topografia do Terror, o próximo ponto turístico de Berlim na nossa lista.

 

 

Agora é possível comprar ingressos para diversos passeios em Berlim através da nossa parceria com a Viator, uma das maiores operadoras de turismo do mundo. E o melhor, os preços são em reais! Clique aqui para visitar o site.

 

8. Topografia do Terror

Metrô:Kochstrabe

O Topografia do Terror é um museu a céu aberto, encontrado no lugar onde ficava a matriz da temida Gestapo, a polícia repressora do Partido Nazista. Os prédios que abrigavam os escritórios, e também as celas da polícia, foram destruídos por bombardeios dos Aliados, durante a Segunda Guerra Mundial. O que há no lugar hoje em dia são apenas algumas ruínas, resgatadas através de escavações, e um Centro de Documentação, onde dá para ver fotos, vídeos e exibições, que têm detalhes interessantes sobre os anos de terror e de violência promovidos pelos nazistas. Não deixe de prestar atenção numa grande parte do Muro de Berlim que ficou conversada. A sensação de estar naquele lugar é realmente indescritível. A presença do muro, que representa uma outra parte da história conturbada da cidade, juntamente com as ruínas do que antes era a “fábrica dos horrores” que tomou conta da Europa naquela época, realmente fazem a gente voltar no tempo!

 

 

9. Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche (Igreja Memorial Kaiser Wilhelm)

Igreja Memorial Kaiser Wilhelm
Igreja Memorial Kaiser Wilhelm

Metrô:Kurfurstensdamm

A Igreja Memorial Keiser Wilhelm é uma das atrações turísticas mais famosas de Berlim e deve fazer parte do seu passeio. A igreja foi danificada durante bombardeios dos Aliados na Segunda Guerra Mundial, e teve a sua torre destruída, preservada até hoje como um memorial de guerra. Uma nova igreja de concreto, de arquitetura moderna, foi construída ao lado da igreja original.

 

10. Tiergarten

Metrô:Hansaplatz

O maior e mais belo parque de Berlim é um paraíso natural, repleto de lagos, estátuas e monumentos. Durante o verão, o Tiergarten fica lotado de turistas e moradores da cidade, que aproveitam para fazer piqueniques e passear com os seus cachorros. No inverno e no outono (quando visitamos), a cena é um pouco diferente, mas, mesmo assim, ainda dá para aproveitar a beleza do parque e de suas árvores frondosas, que ganham tons marrons e laranjas. O Tiergarten fica no coração de Berlim, e abriga algumas das atrações turísticas mais visitadas da cidade, como o Memorial Soviético e a Coluna da Vitória.

 

 

9 COMENTÁRIOS

  1. Estarei na Itália em janeiro 2012 e pretendo esticar dois dias em Berlim.As dicas serão meu guia na cidade. Obrigado!

  2. Obrigada pelas dicas. Utilizarei como roteiro para minha viagem em março deste ano!

  3. Amei as dicas e estarei indo para Alemanha em maio. Gostaria de saber se essa época ainda esta frio?

  4. Seus comentarios estão muito bons e vou seguilos na minha viagem de Junho proximo.

  5. Bom dia, muito legal o texto! Já morei em Berlim e é uma cidade incrível, todos que a conhecem apaixonam.
    Só gostaria de fazer algumas correções:

    Você usou várias vezes a palavra “strabe”, mas na verdade é “straße” ou “strasse” (= rua), esse símbolo que parece um BETA é um s em cima de outro s, e pode ser escrito das duas formas.

    Parabéns por divulgar Berlim.

  6. Estamos em Berlim, ainda sem defiiniçoes de passeio. Suas dicas nos ajudarão muito. Obrigada!

  7. Olá, Tiago.

    O teclado do computador não tinha o tal símbolo, por isso, na falta, foi usado o mais aproximado (pelo menos esteticamente), que era o B. 🙂

    Obrigado pelo comentário, ficamos felizes que tenha gostado do artigo!

    Abraços.

    Equipe Planeta Europa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui