A Torre de Londres não é apenas o conjunto de edifícios históricos mais importantes da Inglaterra, é uma das mais visitadas atrações turísticas do país. Em sua longa história, este notável Patrimônio Mundial da UNESCO serviu como uma fortaleza e como um palácio real, e mais celebremente, como prisão e local de execução dos inimigos da coroa. Confira nossas dicas sobre como visitar a Torre de Londres, que ver lá e como comprar ingressos!

Construída originalmente para ser uma fortaleza, a Torre de Londres servia também para controlar o tráfego de barcos no rio Tamisa. A parte mais antiga (e a principal do complexo) é a torre original, chamada de Torre Branca (White Tower), e foi construída por volta de 1078.

O complexo da Torre de Londres é um verdadeiro colosso, e consiste da ala externa, cercada por uma muralha com seis torres, e da ala interna, com nada menos que 13 torres de observação (dá até para andar por cima da muralha)! Cada torre tem a sua própria história, não deixe de reparar nas placas em cada uma delas, que indicam o nome e a data da construção também. 

Muitas pessoas importantes na história foram aprisionadas dentro das muralhas da torre –  incluindo a Rainha Elizabete I, quando ainda era uma princesa – e também executadas, como duas das esposas do seu pai, o rei Henrique VIII (incluíndo a mãe de Elizabeth, Anne Boleyn).

O que ver na Torre de Londres: confira as principais atrações:

A Torre Branca

A Torre Branca em todo seu esplendor com a Tower Bridge ao fundo

No centro da Ala Interna, a Torre Branca – que leva este nome por causa da pedra branca usada na sua construção – foi iniciada em 1078, e concluída por volta do ano 1100. Com quatro andares de altura, e paredes de 5 metros de espessura, a estrutura hoje em dia abriga uma exibição de armaduras, que é conhecida como a atração turística mais antiga do mundo. Criada em 1652, ela inclui armas de caça e armaduras usadas em torneios, incluindo algumas que pertenciam ao rei Henrique VIII. 

Não deixe de reparar na Capela de São João, um exemplo lindíssimo e bem preservado da arquitetura normanda, que data de 1080.

Leia também:  Fuja do comum - 10 passeios inusitados em Londres
O interior da Capela de São João (St John’s Chapel)

 

The Jewel House: a Casa das Jóias da Coroa

A impressionante entrada da Jewel House

A Jewel House abriga as jóias da coroa britânica desde 1968. A coleção exclusiva inclui a coroa feita de ouro puro que é usada na coroação de todos os soberanos britânicos, bem como a coroa imperial, que tem nada menos que 2.800 diamantes e outras pedras preciosas. Criada para a coroação da rainha Victoria em 1837, ela é usada na abertura do parlamento e em outras ocasiões especiais. A coleção das jóias da coroa britânica é impressionante, e um dos destaques o que ver na Torre de Londres. Lembre-se que é proibido fotografar as jóias (apesar de termos quebrado as regras e tirado uma foto escondida, que você pode ver abaixo).  

As coroas imperiais

The Traitors Gate: o portão dos traidores 

O Portão dos Traidores é por onde os prisioneiros que eram levados para a torre passavam ao chegar lá de barco pelo Rio Tâmisa. 

O famoso Portão dos Traidores

Tower Green: o jardim da torre

Tower Green com os prédios em estilo Tudor

Muitas das execuções na Torre de Londres ocorreram em Tower Green, o espaço verde agora é marcado por um memorial que fica no local onde eram decapitados os prisioneiros condenados. A execução dentro da torre, longe das multidões, era um privilégio reservado para aqueles de alto escalão ou para os prisioneiros que tinham forte apoio popular. As mais conhecidas entre as executadas no local são as três rainhas da Inglaterra: Anne Boleyn, segunda esposa de Henrique VIII; Catherine Howard, quinta esposa de Henry; e Lady Jane Gray, que tinha apenas 16 anos (executada sob as ordens da rainha Bloody Mary). 

De um lado de Tower Green fica a Queen’s House, uma atraente casa de madeira no estilo Tudor, na qual Anne Boleyn passou seus últimos dias antes da execução.

Leia também:  Shoreditch House - Clube das celebridades de Londres

Corvos da Torre de Londres

Um dos famosos corvos residentes na Torre de Londres

A lenda dos corvos da torre diz que a monarquia e a Torre de Londres cairão se os seis corvos residentes deixarem a fortaleza. Acredita-se que o rei Charles II tenha sido o primeiro a insistir em que os corvos da Torre fossem protegidos depois que ele foi avisado de que a coroa deixaria de existir se eles saíssem de lá. Desde então, os inteligentes pássaros são mantidos e até cultuados pelos moradores da torre. 

Os Beefeaters – os famosos guardas da Torre

Um Beefeater (de costas) e outros soldados

Com o título completo de Guardas Yeomen do Palácio Real de Sua Majestade e da Fortaleza da Torre de Londres, e membros da Guarda Soberana do Corpo da Guarda Yeoman Extraordinária, não é de admirar que os guardas da torre sejam mais conhecidos por seu apelido, Beefeaters (os Comedores de Carne – em tradução livre). Hoje em dia, os guardas vestidos com seus uniformes distintos tomam conta da torre e agem como guias para os turistas. Todos são oficiais aposentados que serviram com distinção ao exército britânico.

Passeios e ingressos: como essa é uma das atrações mais populares da cidade, as filas de ingressos são longas e lentas. Você pode pesquisar preços e obter ingressos antecipados para a Torre de Londres clicando aqui. 

Você pode visitar a Torre de Londres todos os dias da semana, e os horários variam de acordo com a época do ano (no inverno os horários são reduzidos). 

Como chegar à Torre de Londres:

De metrô você pode pegar as linhas District e Circle do metrô e descer na estação Tower Hill. Há também barcos que vão para Tower Pier e partem de Charing Cross, Greenwich e Westminster (próximo do Big Ben e London Eye, em Embankment). Alguns catamarãs da Thames Clippers também servem o pier.